Destaques

Cursos sob medida para demandas locais

Instituições criam graduações e cursos técnicos para formar profissionais para criar soluções para o mercado local; entre as necessidades estão tecnologia e ciência de dados

 

Maringá conta com aproximadamente 400 empresas de Tecnologia da Informação. Juntas, elas movimentam R$ 1,2 bilhão por ano e empregam mais de cinco mil colaboradores, segundo a prefeitura. Apesar da rápida expansão, o mercado esbarra na falta de mão de obra.

A área é uma das quatro estratégicas para o desenvolvimento local, segundo o relatório socioeconômico elaborado pela consultoria PwC para o futuro de Maringá – as outras são educação, saúde e intermediação financeira.

O segmento de desenvolvimento de sistemas permeia os demais setores, sendo uma importante alavanca de eficiência, produtividade e inovação. Já as instituições de educação são a base dos outros setores. Nesse contexto, a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Campus de Maringá, vai lançar em 2020 o bacharelado em Tecnologia e Negócios, graduação com duração de quatro anos e 120 vagas. Os estudantes serão preparados para projetar e desenvolver tecnologias para resolver desafios dos negócios, além terem competências para utilizar a tecnologia para explorar novas oportunidades e empreendimentos.

“A PUCPR criou o curso de Tecnologia e Negócios por perceber que a união dos conhecimentos de ciência da computação e em gestão formam um profissional com competências para perceber e aproveitar oportunidades em negócios de tecnologia não estabelecidos ou produzir tecnologia para atender oportunidades em negócios estabelecidos”, explica a diretora, Juliana Medeiros, que é doutora em Administração.

Dentre as competências, o profissional será capaz de criar produtos, serviços e negócios de cunho tecnológico a partir da análise de cenários, mapeamento do mercado e previsão de tendências. “A premissa no qual surge o curso é de relacionamento universidade-mercado, proporcionando ao estudante desenvolver soluções para casos reais. Esperamos contribuir com o desenvolvimento de Maringá e região, formando profissionais que poderão promover inovações disruptivas e elevar a qualidade e produtividade dos setores e empresas. Estamos atendendo a demandas emergentes de cursos focados em resolver problemas futuros que estão impactando nosso presente”, ressalta.

 

Ciência de Dados

Não é apenas a PUC que tem ofertado cursos de acordo com demandas locais. Para suprir a falta de mão de obra, a Unicesumar lançará, em 2020, o bacharelado em Ciência de Dados, com quatro anos de duração.

O curso tem proposta interdisciplinar, juntando os conceitos de matemática e estatística aos da computação. O aluno terá contato com conceitos e práticas de programação, banco de dados, ciência de dados, análise estatística, inteligência artificial, aprendizagem de máquina, engenharia de dados, entre outros. “Enquanto academia, queremos dar respostas rápidas para as novas demandas. É fundamental às organizações terem acesso a dados de forma estratégica, que auxiliem na tomada de decisão, e a formação em Ciência de Dados possibilita a atuação nessa área, visando à extração de conhecimento e a aplicação de inteligência artificial na solução de problemas”, explica o coordenador do curso, Marcello Erick Bonfim.

A formação habilitará o profissional a atuar na busca de soluções para aplicação de métodos e modelos matemáticos, estatísticos e computacionais, na análise de grandes bancos de dados. O aluno aprenderá a desenvolver protótipos e produtos com aplicação de inteligência artificial, deep learning, machine learning, realidade virtual e internet das coisas. “A atuação é ampla, por ser uma área interdisciplinar. Os profissionais poderão atuar no desenvolvimento de sistemas de busca na internet, finanças, saúde, marketing, reconhecimento de imagens, logística, entre outros. É uma iniciativa na busca pela inovação e formação de qualidade para um mercado de trabalho recente, mas com grande demanda”, acrescenta Bonfim.

 

Curso de dois anos

A área de tecnologia também tem destaque no Centro Universitário Cidade Verde (UNIFCV), que oferece cursos em Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Design Gráfico. O primeiro foi criado em 2011 e tem duração de dois anos e meio, e o segundo iniciou em 2017, com duração de dois anos.

De acordo com o coordenador, André Dias Martins, ambos possuem disciplinas oriundas das diversas ferramentas tecnológicas que permeiam o mercado. “A demanda é grande em Maringá nessas duas áreas, exatamente por serem cursos voltados para tecnologia, criatividade e inovação. Maringá é polo em tecnologia e agora com a implantação do Parque Tecnológico, isso tende a aumentar”, explica.

O profissional formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas é o responsável por gerenciar as informações, criando e distribuindo-as em redes de computadores, além de lidar com processamento de dados, engenharia de software, informática, hardwares e softwares.

Ele se relaciona com diversos setores da organização, e deve estar apto para dar orientações sobre o uso de softwares, implantação e administração de sistemas. Por essa razão, o profissional precisa agregar, além dos aspectos específicos da área, conhecimentos sobre ambiente, gestão, estratégia, processos e cultura organizacional. O profissional pode atuar como analista, programador, gerente de desenvolvimento e de projetos, consultor/ auditor, entre outros.

Já o profissional de Design Gráfico cria projetos de comunicação visual, produtos e embalagens, desenha logotipos, formata material visual como panfletos, outdoors, páginas da internet e outros, além de atuar na área de design de produtos, como móveis, joias, vestuário, equipamentos médicos e odontológicos, peças para maquinário industrial e eletrodomésticos. Ter afinidade com desenho e gostar de arte são características desejáveis.

 

Técnico

Atendendo a uma solicitação do Ministério da Saúde, o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) está elaborando estudo de viabilidade para a implantação do Centro de Biotecnologia Industrial em Maringá. O local deve reunir empresas de base tecnológica com produtos e serviços de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação.

Nesse cenário, a necessidade de mão de obra especializada em biotecnologia aumentou e continua crescendo. Com a proposta de formar profissionais qualificados e atender a essa demanda, o Senai Maringá oferece curso técnico em Biotecnologia, na unidade da Zona 5. São 1,2 mil horas distribuídas em dois anos.

Estão incluídos conteúdos de comunicação, matemática, estatística, química, biologia, imunologia, processos produtivos de insumos e produtos microbiológicos, processos fermentativos, gestão da qualidade, gestão da produção, entre outros. “Devido ao caráter multidisciplinar, o profissional pode atuar em indústrias de alimentos, usinas de açúcar e álcool, farmácias de manipulação, laboratórios e análises de alimentos, que são a realidade do setor industrial de Maringá”, afirma a coordenadora de Educação Profissional do Senai Maringá, Helen Camila Silva Boeing.

Também focado nas necessidades locais, há o curso profissionalizante de Instalação de Geradores de Energia Solar Fotovoltaicos, com 16 horas. “Em meio a um cenário onde sustentabilidade é uma necessidade emergencial, energia elétrica com demanda crescente e preços altos, a geração de energia por fontes alternativas constitui uma opção eficaz para baixar a conta de luz. Devido à simplicidade na instalação, o setor fotovoltaico está aquecido. Assim, a necessidade de mão de obra especializada nessa tecnologia em Maringá e região aumentou nos últimos dois anos. Embora sofisticada, a instalação dessa tecnologia não é complexa, portanto, em dois dias de uma capacitação feita com qualidade, os profissionais já estão aptos a trabalhar”, acrescenta a coordenadora.