Destaques

Para empreender e crescer

Expansão de empresas e chegada de novas prometem impulsionar as contratações e influenciar positivamente a economia local

 

Ainda pouco ‘povoada’, a avenida Joaquim Duarte Moleirinho deve ter a paisagem modificada ao longo do ano. Estrategicamente localizada, a via tem atraído a atenção de investidores, e aos poucos os terrenos vazios vão sendo ocupados por construções. É lá, por exemplo, que será construído o Unique Medical Center, complexo hospitalar cujas obras devem ser iniciadas no primeiro semestre. O projeto de R$ 150 milhões lidera a lista de novos empreendimentos e expansões de empresas que prometem impulsionar a economia maringaense nos próximos meses.

O otimismo e a disposição do empresariado para investir em Maringá estão respaldados em índices econômicos. Em 2019, o município foi um dos protagonistas na geração de empregos formais no Paraná. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, foram criados 3,7 mil postos com carteira assinada.

Parte dessa mão de obra foi absorvida pelas 7.424 empresas abertas no ano passado na cidade. Já o número de Microempreendedores Individuais (MEIs) apresentou crescimento de 71% no intervalo de três anos. Em 2016 eram 14.633 MEIs, saltando para 25.073 até novembro do ano passado.

São números que impactam na arrecadação de impostos e no volume de dinheiro em circulação, bem como na geração de empregos e no consumo. Políticas e investimentos públicos também contribuíram para a crença de um 2020 promissor. Um dos setores em destaque é a Tecnologia da Informação (TI). O Parque de TI saiu do papel no ano passado para uma área de 170 mil metros, na avenida Arquiteto Nildo Ribeiro da Rocha. Foram disponibilizados 12 lotes, sendo que as nove primeiras empresas somam uma geração de 629 empregos e investimentos de R$ 27,8 milhões.       A execução dos projetos e a construção da estrutura devem começar em breve. Dos 283 terrenos colocados à venda no Parque Industrial, 252 já foram vendidos para 94 empresas, muitas de outros estados. Outros 31 estão em fase de negociação. Entre os incentivos estão a isenção do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) por dez anos e do Imposto Sobre Serviços (ISS) da obra, serviço de terraplanagem, subsídio no valor do terreno entre 60 e 90% – benefícios previstos no Programa de Desenvolvimento Econômico de Maringá (Prodem).

Cenário mais que favorável e animador para quem deseja tirar do papel projetos para empreender e expandir.

 

Complexo milionário

O Unique Medical Center será erguido em um terreno de 10.800 metros quadrados na avenida Joaquim Duarte Moleirinho. “O local é de fácil acesso tanto para quem mora em Maringá como para quem vem de cidades da região”, justifica o CEO do projeto, Roberto Madid.

O complexo hospitalar terá duas torres interligadas. Na mais alta, com 25 andares, ficarão 230 consultórios com 55 metros quadrados cada. A outra abrigará a estrutura do hospital com 200 leitos de internação, 20 leitos de UTI, dez salas cirúrgicas, pronto-socorro 24 horas e clínica cirúrgica.

O projeto inclui centro de diagnóstico para atendimento eletivo agendado e dos pacientes do hospital. Serão disponibilizadas aproximadamente 900 vagas de estacionamento e um mall com 20 lojas de conveniência ligará as duas torres. “Estamos falando em um investimento de R$ 150 milhões com foco no atendimento de alta complexidade. O Hospital Unique, o centro de diagnósticos e o mall serão financiados por meio de um fundo imobiliário. A torre de consultórios virá via incorporação imobiliária. Os espaços serão vendidos e terão o uso restrito para a prestação de serviços de saúde. É um edifício de saúde”, reitera Madid.

O complexo hospitalar foi idealizado por um grupo de médicos de Maringá com a proposta de oferecer uma estrutura moderna, tanto no aspecto físico quanto de instalações e equipamentos. “Os hospitais atuais, apesar de atenderem com eficiência a população, têm mais de 40 anos. O grupo quer atender, com excelência, pacientes e acompanhantes, e ao mesmo tempo propiciar conforto, agilidade e facilidade aos médicos”, diz o CEO.

O hospital chega também para sanar o deficit de mais de 400 leitos hospitalares na macrorregião de Maringá. “Viemos para agregar. Nossa intenção é transformar Maringá em um polo de saúde no estado, gerando empregos e negócios”, adianta Madid, estimando inicialmente que a obra empregará 500 trabalhadores. Depois de pronto, serão 1,3 mil empregos diretos e cerca de 700 indiretos. O prazo de construção é de 24 meses, o que significa que as atividades devem ter início entre junho e julho de 2022.

 

Irmão caçula

Outra região da cidade que será visualmente impactada por um novo empreendimento é a Zona 7. Isso porque o Mercadão de Maringá ganhará em breve o Mercadão Fratello. O novo espaço está em construção em um terreno de aproximadamente três mil metros quadrados localizado entre a travessa Jorge Amado e a avenida Herval, pertinho do Mercadão de Maringá. “Essa expansão era um sonho antigo e foi tirada do papel após estudos e pesquisas de mercado. No Mercadão de Maringá não temos mais espaços para ampliar as operações e há demanda para bares e restaurantes, bem como público para esse tipo de negócios”, revela o administrador Jair Morroni.

Ele diz que a escolha do nome foi avalizada por pesquisas. “O Mercadão é uma marca consolidada e seria um desperdício não utilizá-la”. O complemento Fratello vem da definição de irmão na língua italiana e faz referência ao comprometimento da empresa de continuar oferecendo alta gastronomia em um ambiente familiar.

Desenvolvido sob o conceito de open mall, o projeto arquitetônico do novo empreendimento aposta na harmonia e beleza de espaços abertos que usam, na maior parte do tempo, iluminação e ventilação natural para aliar gastronomia, entretenimento e serviços. Serão 2,5 mil metros de área construída com 22 espaços, que serão ocupados em sua maioria por bares e restaurantes – sete deles definidos. Porém, o projeto reserva ainda espaço para coworking, eventos artísticos e uma agência digital do Sicoob.

“O Mercadão Fratello terá arena de shows gratuitos que está sendo viabilizada em parceria com o Sicoob e, por isso, se chamará Arena Sicoob”, conta Morroni. Esse espaço cultural será um dos diferenciais do empreendimento, cujo investimento gira em torno de R$ 5 milhões. Além do Sicoob, outras duas operações âncoras estão em negociação.

As obras do Fratello tiveram início em dezembro e a previsão é que sejam concluídas até maio. “Será um shopping a céu aberto, uma espécie de rua gastronômica”.

 

Alto padrão

Um dos setores mais beneficiados com a chegada de empreendimentos e a expansão de empresas é a construção civil. E é de olho no aquecimento desse mercado que a Revest Acabamentos inaugurou em novembro passado mais uma loja em Maringá. Ponto de venda de produtos exclusivos da Deca, a Revest Red está localizada na avenida JK e, assim como as demais unidades, é endereço obrigatório para quem está construindo. “Já vendíamos a marca nas outras lojas, porém tínhamos o desejo de ter a operação exclusiva, que comercializa produtos diferenciados. Essa loja existia na cidade e tivemos a oportunidade de adquiri-la no ano passado”, comenta o diretor Algacir Antônio Scoqui.

Apesar dos percalços econômicos nos últimos anos, ele diz que a decisão de expandir foi ancorada no cenário favorável para a retomada de investimentos, especialmente na construção civil. “É um setor âncora que sempre fez e faz diferença para a economia, principalmente em Maringá”.

Depois de fechar a compra da loja, foram sete meses de reforma. O resultado das obras é uma boutique voltada para as classes A e B. O ambiente moderno, com espaços para café e snacks, recebeu investimentos de aproximadamente R$ 900 mil. “É uma loja com foco no atendimento vip, com mimos para a clientela, além de acabamentos diferenciados e de alto padrão”, diz Scoqui, acrescentando que a demanda por atendimento personalizado é ‘gigantesca’. “A maioria dos clientes é formada por arquitetos, que costumam ser exigentes”.

Para satisfazer esse público, a loja dispõe de um portfólio de pedras importadas, porcelanatos, louças e peças metálicas. Lá também estão à venda as linhas premium da Decortiles. O atendimento é outro diferencial: os seis colaboradores que compõem a equipe de vendas vieram remanejados de outra unidade. “São profissionais altamente qualificados”, finaliza o diretor.

 

Loja exclusiva

O cenário econômico promissor também motivou a empresária Natália Sartor. Proprietária da Cia Marítima, loja inaugurada há dois anos e meio no shopping Maringá Park, ela trará para a cidade a grife de moda íntima Valisere. Será a primeira loja exclusiva da marca sexagenária em Maringá. “Sempre quis ter mais do que uma loja e escolhi a Valisere porque gosto e uso as peças da marca”, diz Natália.

As conversas para a abertura do negócio se arrastam há um bom tempo. O fato da Valisere pertencer ao Grupo Rosset, detentor da Cia Marítima, facilitou a negociação. “Depois que abri a Cia Marítima, mantive contato com a equipe interna de expansão do grupo. Tinha informações sobre o funcionamento da Valisere e as pesquisas de mercado na cidade. Acompanhei o crescimento da marca”, revela a empresária.

Natália chegou a cogitar a abertura da nova operação ainda no ano passado, porém achou prudente esperar a maturação da primeira loja. Atualmente satisfeita com o desempenho da Cia Marítima, sente que é o momento de investir na nova grife. “A Valisere é conhecida do público e faz sucesso por conta das rendas e modelagens que se adaptam aos diferentes biotipos”, destaca.

A grife tem apostado na união do under e do outwear, assim como a Cia Marítima. Nesta proposta, as peças antes intimistas ganham espaço em looks do dia a dia. “O cliente deixa de comprar um produto para um fim específico. É possível trazer os bodys rendados para o dia a dia, assim como pijamas e camisolas. São peças versáteis e de qualidade”, afirma Natália.

Sem revelar o valor do investimento, a empresária estima para este mês o início das obras na loja que ficará no Maringá Park. Já a previsão de inauguração é para abril. Até lá serão abertas quatro vagas de emprego, uma para o cargo de gerente e três para vendedor.

Embora focada na nova loja, Natália não descarta investir em novas operações, até em outros segmentos. “Maringá é uma cidade com potencial e vários segmentos a serem explorados. É um lugar favorável para quem quer empreender. Tenho vontade de abrir mais lojas e estou sempre analisando cenários”.

 

Rede em expansão

O segmento de serviços, que inclui bares e restaurantes, foi o responsável pela criação de maioria das vagas do mercado de trabalho em Maringá em 2019. Foram mais de três mil vagas abertas. Só o Burger King contratou mais de 20 pessoas para trabalhar na unidade inaugurada no final de dezembro. É a quarta loja da rede de fast food na cidade, a primeira na rua – as demais funcionam em shoppings.

A unidade recém-inaugurada está localizada na praça Manoel Ribas. O antigo imóvel foi demolido e substituído por um prédio nos padrões da marca. “Buscamos locais de grande movimentação e concentração de consumidores”, justifica o gerente de Expansão, Rafael Lima.

Primeira loja de rua da rede em Maringá, a unidade se diferencia pelo serviço de drive-thru e horário de atendimento, diariamente das 11h às 22 horas. Sem revelar investimentos e datas, o gerente do Burger King Brasil adianta que a rede pretende ampliar a atuação em Maringá. “Ainda em 2020 teremos novas lojas na cidade”, afirma.

 

Parrilla bar

Uma experiência que une espaço requintado e os sabores da culinária brasileira e porteña. Esta é a proposta do Becoverti, parrila bar inaugurado em dezembro que endossa a lista de empreendimentos do setor de serviços. No espaço com jeito de boteco, com serviço-simpatia e mesas na calçada, cortes de carne ao estilo argentino são preparados na brasa. A grelha é a alma do lugar. “Nossa intenção foi trazer uma nova experiência para os maringaenses, o conceito do churrasco argentino”, destaca o sócio Caio Roberto Galli. “Visitamos alguns bares com esse conceito em outras cidades”.

A variação de cortes selecionados de carnes é o carro-chefe do parrila bar. Mas não menos atraentes são as opções de drinks, que vão do clássico Gin Tônica, à sofisticação do Dry Martini até a refrescância de um Aperol. O preparo fica a cargo de um bartender.

Outro ponto alto do negócio é a localização, com facilidade de estacionamento. O Becoverti fica na avenida Laguna, em frente ao Parque do Ingá. “Uma das nossas preocupações era que os clientes tivessem facilidade para estacionar, porque isso conta muito para o maringaense”, conta Galli.

O imóvel passou por uma grande reforma. E para deixar a experiência mais animada, o bar conta com shows ao vivo às sextas-feiras e sábados. “Queremos que as pessoas se sintam bem, como se estivessem em casa”, diz o empresário que, junto com os sócios – todos da mesma família – investiu R$ 1 milhão no negócio e abriu oportunidade de emprego para mais de 20 pessoas.

Apesar do pouco tempo da casa, Galli afirma estar satisfeito com o retorno no primeiro mês de funcionamento. O tíquete médio, segundo ele, é superior ao esperado, mas acessível e justo.