Palavra com o Presidente

 

 

 

Saúde da população e saúde dos negócios

 

Março foi um mês atípico, com um cenário sem precedentes, com a propagação do coronavírus no Brasil. Ruas e avenidas vazias, à exceção de entregadores de comida. Lojas fechadas e milhares de profissionais trabalhando em home office ou de férias não programadas. Somam-se a isso o medo de um vírus novo e uma avalanche de informações nas redes sociais e na imprensa.

Em Maringá, assim como em centenas de outros municípios brasileiros, milhares de empresas fecharam as portas em atendimento a decretos municipais. E milhares de pessoas foram colocadas em confinamento social, com escolas, restaurantes, lojas, escritórios e indústrias fechadas. Uma situação diferente e difícil.

Mas diante desse cenário, também houve voluntariado em massa. Empresas se uniram para doar alimentos para instituições de saúde, a ACIM encabeçou uma campanha para a compra de equipamentos para UTIs, máscaras e testes para o coronavírus, indústrias produziram uniforme para equipes de saúde e roupa de cama para hospitais, entre tantas outras ações.       Também nunca se viu tanto conteúdo circulando nas redes sociais, por meio de transmissões ao vivo ensinando receitas, exercícios físicos, atividades para crianças ou gestão, além de cursos e conteúdos de streaming de graça.

Empresários e trabalhadores agora enfrentam outro dilema: como manter os empregos e as contas em dia? O cenário não será fácil. Uma pesquisa da ACIM revela que cerca de três quartos das empresas não têm reserva financeira e terão que recorrer a empréstimo para pagar as contas do mês. E existe uma tendência de aumentar o desemprego, o que já está acontecendo em outros países. Nos Estados Unidos, com o novo coronavírus e o confinamento social, a taxa de desemprego que era de 3,5% pode chegar a 10% em abril, atingindo 20 milhões de pessoas.

Diretores e colaboradores da Associação Comercial têm trabalhado muito para ajudar os empreendedores, seja por meio de crédito mais barato para capital de giro, ou por meio de reuniões e pleitos a autoridades. Queremos o equilíbrio entre a saúde da população e a saúde dos negócios. Nossa solicitação é para que haja a abertura gradual das empresas, com regras para a segurança da população, já no início de abril, com o acompanhamento diário dos indicadores do coronavírus na cidade. E, se preciso for, apoiaremos nova suspensão das atividades empresariais, até que a situação melhore e não haja sobrecarga do sistema da saúde.

Aproveito para colocar a ACIM à disposição dos empresários para que possamos superar esta fase juntos. Também agradeço o voto de confiança das centenas de empresários que, mesmo não havendo chapa concorrente, fizeram questão de participar do processo eleitoral da ACIM, para a gestão 2020-2022.

 

 

Michel Felippe Soares é presidente da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM)